Jogos de Tabuleiro Modernos – Agora a brincadeira ficou séria!

War, Banco Imobiliário, Imagem e Ação, Jogo da Vida, Detetive… Bem provável jovem aprendiz que esses jogos de tabuleiro fazem parte do seu imaginário e de tantos outros, trazendo lembranças boas e saudosas de horas e horas de muita diversão com amigos ou família. Porém, esse hobby se tornou cada vez mais sério de alguns anos para cá, com jogos mais elaborados e artísticos. Esses são os chamados Jogos de Tabuleiro Modernos. Surgidos e feitos em sua maioria na Europa, eles exigem mais de seus jogadores, fazendo da atividade uma verdadeira paixão.

Não se exceda e estrague a alegria da galera.

Mas qual a diferença dos jogos de tabuleiro clássicos para os modernos?

Nos jogos de tabuleiros mais elaborados, existem diferenças principalmente na jogabilidade. Existem critérios em comum nesses jogos para que sejam caracterizados como tal. Entre eles:

  • Os jogos de tabuleiro modernos se baseiam em mecânicas que visam deixar o jogo balanceado e divertido, seja através de estratégias pesadas ou de mecânicas simples, mas bem feitas;
  • Não costuma haver eliminação precoce de jogadores; todos mantém-se com chance de vencer, mesmo que pequena, até o final do jogo. ( ou seja, você não corre o risco de ficar com apenas um país no war, fazendo sua rodada em 30 segundos, enquanto os seus amigos levam 20 minutos por rodada );
  • Os jogos são fluidos e tendem a ter um pequeno “downtime” ( tempo em que os jogadores esperam o outro fazer sua ação ).  Alguns jogos, inclusive, fazem com que todos joguem simultaneamente;
  • Existe todo um capricho na construção do jogo. Seja no material ( famosos cubinhos de madeira, meeples, dados ) e/ou na arte ( não é incomum você dar uma parada no meio de uma partida para apreciar a parte artística do jogo );
  • Temática: aqui já entramos numa questão um pouquinho mais complexa. Os jogos de tabuleiro moderno podem ser divididos em dois principais tipos. “Eurogames” e “Ameritrash”. Nos Eurogames o tema é apenas um pano de fundo para uma mistura de mecânicas, geralmente complexas, que envolvem pouca sorte e MUITA estratégia. Já os ameritrash são jogos em que o tema é levado a sério. Você usara miniaturas, terá uma história interessante e se sentirá imerso num mundo novo ( batalhas espaciais, combater zumbis, invadir castelos.. )

Além de regras e características mais aprimoradas, os jogos de tabuleiro modernos também se destacam pelo capricho com o visual e atenção aos detalhes. Seja com ilustrações feitas por profissionais premiados ou peças cuidadosamente elaboradas, os itens de cada jogo tornam a atividade ainda mais prazerosa, além de virar verdadeiros artigos de colecionadores. Pois bem, olhando para esses tópicos já vemos que muito dos jogos de tabuleiro que temos como referência não são, na verdade, boardgames modernos.

Imaginem um War ou um banco imobiliário, mas com uma complexidade maior, maior número de opções de ação dentro do jogo, miniaturas bem feitas, cubinhos de madeira por tudo que é canto, alta rejogabilidade, menor tempo de espera entre os turnos, não ser eliminado e ficar esperando o jogo acabar por mais 2 horas… é… mais ou menos por aí!

Então os jogos de tabuleiro moderno são novidades? Bom, não exatamente. Na Europa (de onde surgiram os “eurogames” ou “germain style board games”) eles começaram a aparecer com mais força nos meados da década de 80. Porém, foi na década de 90 que a coisa começou a crescer. Um jogo chamado colonizadores de Catan, lançado na Alemanha em 1995, conquistou o mundo com mais de 22 milhões de unidades vendidas em mais de 30 países. O jogo fez tanto sucesso que chegou a receber o título de “The boardgame of our time” pelo famoso jornal norte-americano The Washington Post. Depois dele, um novo mercado surgiu e vem se tornando cada vez mais forte. Vários outros jogos passaram a marca dos milhões, como Ticket to Ride e  Carcassonne.

Colonizadores de Catan – “Eurogame” precursor dos Jogos de Tabuleiro Modernos

A era dos financiamentos coletivos também tem contribuído bastante para o crescimento desse mercado. Você talvez já tenha ouvido falar do Zombicide. Esse boardgame que trás para a mesa muitos zumbis e uma ação cooperativa em busca da sobrevivência é um dos maiores sucessos dos últimos tempos. Outro recente mega-hit é o boardgame baseado no mundo do Dark Souls; ele conseguiu levantar mais de 5 milhões de dólares durante sua campanha. No Brasil também temos vários financiamentos coletivos bem sucedidos, como os recentes Space Cantina, Grasse – Mestres Perfumistas,  Zona Magica e Possessão Arcana.

Uma das características mais legais nos boardgames é a sua imersão social. Ao invés de você se isolar do mundo, em seu celular, sua TV e videogame, você pode juntar sua namorada, irmão, amigos e, juntos, enfrentarem uma apocalipse zumbi, participarem de uma corrida de camelos, explorar novos planetas, ou simplesmente administrarem a sua própria fazenda. Em meio a uma era digital, conseguir sair um pouco do modo “online” e sentar ao redor de uma mesa para jogar pode ser mais inovador e  divertido do que você imagina.

Bom, e o que falta para os boardgames entrarem de vez no mercado brasileiro?  Tendo em vista a recente explosão da cultura nerd (videogames, super-heróis, hqs), é questão de tempo até esse hobbie se expandir de vez. Talvez o que esteja faltando seja divulgação para o público “leigo”. O que temos, hoje, é um excesso de marketing voltando para um público fechado, que já é adepto aos jogos.

No Brasil, algumas editoras e marcas vendem jogos produzidos no país ou trazidos de fora. A tradicional marca brasileira de brinquedos, Grow, fez sua própria versão de jogos famosos no exterior, como Colonizadores de Catan, Puerto RicoIstambul e The Castles of Burgundy. A Galápagos Jogos também é outra editora forte na área no Brasil, com novidades constantes em seu portfólio, traduzem jogos de sucesso e premiados lá fora. Em seu catálogo há jogos como Zombiecide, Arkham Horror, 7 Wonders, Dixit e Ticket to Ride.

Galápagos Jogos sempre presente na CCXP

Já existem espalhadas pelo Brasil inúmeras lojas/ludotecas nas quais além de comprar o seu jogo você pode sentar e, além de conhecer uma galera bacana, aprender a jogar.

Salão da Ludus Luderia, a primeira do Brasil

Agora que você já tem uma boa ideia do que é um jogo de tabuleiro moderno, de uma pesquisada na internet e veja como você pode conhecer melhor esse hobbie. 

2 comentários em “Jogos de Tabuleiro Modernos – Agora a brincadeira ficou séria!

  1. Eu sou um cara viciado em jogos que envolvem Estratégia. Comecei na infância com os jogos modernos de tabuleiro e hoje sou um jogador de Xadrez que é um game mais clássico. Pretendo em algum momento entrar em outros jogos.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu jogava muito quando mais novo xadrez. É muito bom! Mas as diferentes estratégias e mecânicas dos eurogames me fascinaram. Gestão de recursos, gestão de mão, ação programada, jogadores com habilidades diferentes, alocação de trabalhadores e outras tantas mecânicas, me divertem e ensinam a cada partida.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: